SAMBAIBA SMART DISTRICT

O maior projeto desenvolvido pela YVA, sob encomenda de delegação comercial em visita a China, o estudo preliminar para o projeto urbanístico para esta cidade inteligente em Tocantins foi pautada pelo compromisso em criar uma cidade ativa, onde as prioridades são as pessoas e a sustentabilidade, apoiadas por tecnologias de ponta:
- Transporte coletivo confortável e eficiente, com adoção de VLT de propulsão elétrica.
- Ciclovias exclusivas, separadas da calçada e dos veículos, em todas as vias da cidade.
- Passeios e ciclovias sempre protegidas do sol sob a copa de árvores nativas.
- 8 km de ruas exclusivamente peatonais.
- 40% da área total reservado aos espaços verdes.
- Lagos e riachos artificiais ao longo da malha urbana, para minimizar o efeito de ilhas de calor.
- Uso misto na área residencial adensada e industrial, para gerar diversidade no uso do solo e espaços ativos, especialmente na zona industrial.
- Miolos de quadra para uso público, com praças sombreadas, e proibição de gradis ou muros nos recuos frontais, para profunda integração entre o público e o privado.
- Smart Tech: campus universitário dedicado ao agronegócio e centros de pesquisas para empresas nacionais e internacionais para desenvolvimento do Matopiba.
- Smart Terminal: conjunto de terminal intermodal, porto seco, depósitos de grãos e combustíveis ao longo da linha férrea Norte-Sul, uma das mais importantes do país.
- Zona Industrial, que produz grandes áreas cobertas, adotarão placas fotovoltaicas para geração de energia auxiliar para a cidade.
- Usina de Lixo, com incineração do lixo orgânico coletado na cidade, para gerar energia elétrica suplementar à cidade. Posicionado à margem da ferrovia, preparado para receber o lixo gerado por outras cidades do país.
- Irrigação automatizada das áreas verdes públicas, com uso da água armazenada do período de chuvas.         
- Coleta inteligente de lixo, com armazenamento em depósitos subterrâneos dotados de sensores de capacidade. Quando cheios, acionarão frota de coleta com rotas predeterminadas que consumam menos energia, através de IA.
- Economia Circular, com adoção de usina de separação de lixo e refugo reciclável, centro de recuperação e retorno do produto à comercialização ou doação.

Equipe Alexandre Lima, Danilo Akio, Gregório Temczuk, Henrique Steffens, Isabel Sonntag, Jéssica Novaes, Lucas Bochnie, Nícolas Marques, Yuri Vasconcelos.

19,3 km2
 
2018 . porto nacional . tocantins . br